É impossível passar incólume por Bangkok. Ou seja, visitar a capital da Tailândia e em poucos dias não se sentir alterado, evoluído, com um espírito gigante de sagacidade.

Chamada de Cidade dos Anjos, hoje é uma metrópole impressionante, com mais de 10 milhões de habitantes, majestosos templos, arranhas-céus e centros comerciais. Um enorme choque para os sentidos, a todo momento expostos aos cheiros diversos, à poluição escancarada e ao calor infernal. Quer mais? Tem umidade alta, monges em robes laranjas, pessoas sorridentes, comida deliciosa… Tudo junto e misturado.

Apesar de carregar uma certa fama de terra da ilegalidade, é segura para os turistas e mais organizada do que aparenta ser diante do trânsito caótico e das calçadas lotadas.

Encarar tudo isso traz como recompensa jóias escondidas para se visitar. Resolvi separar as principais atrações em cinco diferentes tipos de passeios, confira na lista abaixo:

Wat Benchamabophit

Wat Benchamabophit

Os templos

Bangkok é uma cidade de milhares de Wat, ou seja, de templos. Eles estão por todas as partes e para visitar todos seria necessário talvez alguns anos. Por isso separei quatro dos que mais gostei: Wat Phra Kaew, Wat Pho, Wat Arun, Wat Benchamabophit.

Wat Phra Kaew é conhecido como o templo do buda de esmeralda. Fica dentro do Palácio Real, na parte mais histórica da cidade, e é o templo budista mais importante do país. Dizem, foi construído ainda no século XVIII a partir de um único bloco de pedra jade.

No Wat Pho, prepare-se para visitar um enorme complexo com várias construções impressionantes. É lá onde se encontra o famoso buda reclinado de Bangkok, uma enorme estátua com 46 metros de comprimento toda coberta com folhas de ouro. No complexo são mais de 1000 imagens de buda, a maior coleção da Tailândia. Além do templo, Wat Pho abrigou a primeira universidade do país e é um dos lugares mais procurados para se fazer a massagem tailandesa.

O Wat Arun (que estava em reforma quando estive na cidade) é outro templo budista de Bangkok e representa o Monte Meru, que para o budismo é o centro do universo. Conhecido como o Templo do Amanhecer, ele fica do outro lado do rio Chao Phraya, o que torna sua visita mais divertida, já que é necessário pegar um transporte flutuante, muito comum por lá.

Mas o templo mais bonito na minha opinião é o Wat Benchamabophit, o Templo de Mármore. Não é dos mais visitados, já que fica numa região mais afastada das principais atrações. Mesmo assim, vale conhecê-lo principalmente pela manhã, quando é possível acompanhar a rotina dos monges. Além do templo, o lugar ainda oferece um belo trabalho de paisagismo, em canais com flores de lótus e pequenas passarelas.

Os mercados

Próximo aos principais templos fica o Mercado das Flores, que leva o nome de Pak Klong Talad. Um grande galpão lotado de diversos tipos de flores e plantas, das mais comuns até as exóticas. São centenas de pessoas trabalhando nos arranjos que são depois oferecidos nos templos, ou então colocando as pétalas em sacos plásticos para vender ali mesmo. Um lugar muito colorido, ideal para quem gosta de fotografar.

Nos finais de semana, a parada obrigatória é o Chatuchak, ou JJ Market, simplesmente o maior mercado a céu aberto do Tailândia e um dos maiores do mundo. São mais de 15 mil barracas vendendo o que vier na imaginação: roupas, calçados, acessórios, souvenirs, comida, animais domésticos e exóticos (parte negativa do lugar), pinturas, objetos de decoração e muito muito mais. Prepara-se para caminhar bastante entre mais de 200 mil pessoas, e claro, para pechinchar se tiver vontade de abrir o bolso.

Wat Saket

Vista do alto do Wat Saket

Bangkok do alto

Wat Saket, obviamente, poderia entrar na lista dos templos. Mas resolvi incluí-lo nesta categoria por possuir uma das vistas mais incríveis de Bangkok. O templo do Monte Dourado fica exatamente no alto de uma montanha – artificial – e é considerado um marco para os tailandeses.

Subir os 318 degraus da escada em espiral não é das missões mais complicadas, já que a subida é rodeada por uma bela mata, com alguns pontos para descanso e muros com sinos para apreciar. No topo, a recompensa maior é ter a chance de ver Bangkok sem nenhuma grande construção nas proximidades. Imagine no final do dia, com o pôr do sol!

Agora se você está procurando, além de uma bela vista, diversão e um bom lugar para comer e beber, é melhor escolher um dos inúmeros rooftops da cidade. Existem três bem famosos: Bayoke Tower, Hotel Sofitel So Bangkok e Lebua Sky Bar, este último um dos cenários do filme Se Beber Não Case 2, que se passa em Bangkok.

MBK Shopping Center

MBK Shopping Center

Passeios à noite

O lado agitado de Bangkok é mais perceptível no final do dia. Diversos lugares deixam de ser simples ruas de comércio e passam a receber turistas em busca de diversão. Três endereços me chamaram a atenção na cidade: a internacional Chinatown, a famosa Khao San Road e o efervescente cruzamento do MBK Shopping Center.

Não é por acaso que a Khao San Road é um dos poucos endereços de Bangkok com um nome internacional. É o metro quadrado que mais recebe turistas na cidade, por conta dos seus bares, restaurantes, baladas, lojas e hotéis. É por lá também que os mais corajosos experimentam os exóticos insetos. É bom avisar, uma iguaria que só turista come. Vale muito mais experimentar a massagem tailandesa oferecida nas calçadas.

Para quem nunca esteve na China, a Chinatown tailandesa é um bom começo. Por várias ruas, é como se você realmente estivesse em outro país. Os letreiros estão em mandarim, a comida de rua é chinesa e muitos moradores da região também.

Chinatown em Bangkok

Chinatown em Bangkok

Na Estrada dos Dragões, como é chamada a via principal, prepare-se para um experiência inigualável através dos cheiros, do sons e das luzes. Bom para quem quer apenas passear, para quem prefere visitar templos ou até para quem procura um bom lugar para comer.

Agora, se você quer ver Bangkok pulsando, basta visitar a região do Siam e do shopping MBK, no cruzamento mais famoso do skytrain (o metrô suspenso de Bangkok). É a região mais moderna da cidade, com diversos arranha-céus, outros shoppings e muitos e muitos carros. Os engarrafamentos por lá são frequentes no final do dia, se tornando uma atração para os turistas e suas câmeras.

Fora da cidade

Saindo um pouco da correria e do agito de Bangkok, dois lugares recebem muitos turistas: a cidade historica de Ayutthaya e o mercado flutuante Damnoen Saduak.

Ayutthaya é a antiga capital da Tailândia e, desde 1991, Patrimônio Mundial da Unesco. Fica a 80 km de Bangkok, em direção ao norte, o que permite um bate e volta de trem sem muito estresse ou complicação.

Mas o que fazer por lá? A grande atração de Ayutthaya é o seu parque arqueológico, o principal cartão de visita da cidade. São vários templos, muitos em ruínas e outros que foram restaurados. Muitas estátuas gigantescas, colunas, museus e torres. Destaque para o templo Wat Mahathat, conhecido pela escultura da cabeça de um buda entre as raízes de uma árvore, e para o Wat Lokoyasutha, com o maior buda reclinado da região.

Um pouco mais distante de Bangkok fica o Damnoen Saduak, um dos mais famosos mercados flutuantes do país. Espere encontrar muitos turistas e também comerciantes negociando frutas, temperos, comidas típicas, flores, lembrancinhas do país e até pinturas. Tudo sendo oferecido nas margens e dentro dos barcos.

Roda gigante do Asiatique

Roda gigante do Asiatique

Bônus

O meu bônus para quem vai visitar Bangkok se chama Asiatique River Front. De frente para o rio Chao Phraya, esse shopping a céu aberto é um dos melhores lugares da cidade para curtir o final do dia. São centenas de lojas vendendo diversos tipos de produtos e muitos restaurantes internacionais.

Para chegar até lá, aproveite o passeio pelo rio. É o jeito mais fácil, barato e divertido. Já no Asiatique, os mais dispostos ainda podem aproveitar a vista da capital tailandesa do alto da roda-gigante. Um belo local para encerrar o dia na incrível capital da Tailândia.