Hostels costumam ser a escolha óbvia de quem viaja sozinho. Comigo não é diferente. Durante minha viagem de volta ao mundo, a grande parte das minhas noites de sono foram nesse tipo de acomodação.

Claro, a questão do preço mais barato das diárias conta muito quando se viaja por um longo período, mas nem sempre é possível encontrar lugares com bom custo-benefício.

Por isso, antes de iniciar a viagem, tive que criar uma estratégia bem definida de escolha do melhor hostel possível em cada cidade visitada. É o que compartilharei neste post, além de uma seleção dos cinco melhores albergues em que me hospedei durante a viagem.

Em busca do melhor hostel

Como preço baixo em hospedagem muitas vezes é sinônimo de péssima localização, acomodações mal cuidadas e poucos atrativos (muitas vezes até sem acesso à internet), é preciso muito cuidado na hora de escolher o seu hostel.

Costumo iniciar minha busca utilizando o Booking, privilegiando os filtros de boa localização e preço baixo. Em seguida, vou refinando a busca, me certifico se o lugar oferece Wifi, café da manhã gratuito, se possui alguma promoção ou se há outros serviços, como aluguel de bikes e translado aeroporto-hostel.

O passo seguinte é conferir no TripAdvisor as avaliações de hóspedes anteriores. Essa parte é bem importante porque você consegue ver qual é a real do lugar, inclusive com fotos menos produzidas que mostram realmente se o quarto é bem cuidado e se o banheiro recebe uma boa limpeza com frequência. No TripAdvisor as pessoas compartilham avaliações sobre locais, mostrando vantagens e desvantagens de ficar ali.

O terceiro e último passo é novamente no Booking. Sempre dou preferência ao site para fazer minhas reservas pela vantagem do cancelamento gratuito, o que te permite desistir da hospedagem se aparecer algo melhor. Para quem viaja sozinho e com uma mochila nas costas, o sofá de um amigo direito ou de um amigo do amigo sempre é a última esperança.

A seguir, minha lista dos cinco melhores hostels em que já me hospedei. Em comum entre eles: excelente localização, preço baixo, boas acomodações e clima de sossego.

Melhor hostel: Mini boxtel hostel – Ao Nang – Krabi

Depois de uma viagem de avião, principalmente daquelas bem longas, a única coisa que você quer é um banho tomado e uma cama confortável. E quando você escolhe um hostel como hospedagem, muita vezes é difícil encontrar essa combinação dos sonhos.

Quem se hospeda com frequência em albergues já sabe: expectativa alta quase sempre é sinal de frustração. Bom mesmo é quando você chega ao hostel escolhido e descobre que ele é ainda melhor do que apresentava nas fotos e na descrição na internet.

Esse sem dúvida é o caso no Mini boxtel Hostel, na praia de Ao Nang, Krabi, na Tailândia. Não há melhor opção para quem busca sossego, boa localização e conforto com preço baixo. O Mini boxtel é tão pequeno quanto uma casa, por isso oferece tanta tranquilidade. São apenas dois quartos de camas compartilhadas: um exclusivo para mulheres e outro misto.

O mais legal é que cada cama é separada em boxes de madeira totalmente fechados (exceção à parte frontal, fechada com uma cortina), o que permite uma privacidade muito maior do que os tradicionais beliches. Dentro do box, além do colchão, travesseiro e toalha, você tem a disposição uma mini mesa e um cofre. Claro, o quarto também oferece ar-condicionado, uma pequena varanda e armários. É tudo bem estilo minimalista, o que dá uma sensação de limpeza ainda maior aos quartos.

Quando me hospedei por lá, em 2015, a cobertura era a única área de convivência, com uma bela vista para a praia, mesas e sofás, além do balcão de check-in/check-out e de atendimento para quem precisa marcar um transporte ou passeio turístico. Não tenho certeza, mas parece que fizeram uma reforma recente e acrescentaram uma grande sala de café da manhã/almoço no térreo, como pude ver por fotos.

Hi USA – New York

Em Nova York, diferente do hostel tailandês, o Hi USA é um hostel imenso. São dezenas de quartos espalhados por quatro andares de um prédio com bela arquitetura e bem adaptado para receber viajantes.

Os quartos são simples, com beliches até confortáveis, mas sem nenhuma conveniência além dos lockers e do aquecedores. O ponto alto do hostel são suas áreas comuns. São diversos ambientes externos e internos que acolhe bem tanto quem quer se enturmar com outros viajantes quanto com quem pretende apenas sentar com seu fone de ouvido para relaxar ou navegar na internet.

Em formato de U, o prédio ainda possui uma grande área externa onde acontecem os famosos barbecues americanos e as festas promovidas pelo próprio hostel. No interior, você pode escolher pela sala de sinuca, pelo lounge dos sofás, pela cantina ou até pela enorme cozinha super equipada que fica no subsolo.

Fora as festas, o hostel ainda promove passeios pela cidade, happy hours nos melhores bares nova-iorquinos e outros eventos que servem para reunir a galera hospedada no local.

Claro, você estará em Nova York, muito próximo do Central Park, e provavelmente não vai querer perder muito tempo no seu quarto. Mas não custa nada tem um lugar agradável para ficar. A localização não é das melhores, algumas estações de distância do centro efervescente de Manhattan. Mas o custo-benefício mais do que compensa.

Hola Hostal Eixample – Barcelona

Em Barcelona, uma das cidades mais incríveis da Europa, as opções de hospedagem são inúmeras. Se você fizer uma busca no Booking, só de hostels são mais de 100. Mas refinando a busca por boa localização, preço razoável e ambientes bem equipados, o Hola Hostal Eixample é praticamente imbatível.

O prédio é extremamente bem localizado. Fica a alguns minutos de distância (a pé) da Sagrada Família e do Arco do Triunfo. Andando mais um pouco ainda é possível chegar até a Praça da Catalunha, Casa Batló e Milà, alguns dos principais pontos turísticos da cidade.

Agora, se você enjoar um pouco da cidade (o que é extremamente improvável), não se preocupe: hospedado no Hola Hostal estará muito bem acomodado. Por fora, parece mais um simples prédio residencial típico do bairro Eixample, um dos mais tradicionais de Barcelona. Por dentro, tudo foi bem preparado para dar um ar de modernidade e juventude, bem a cara do seu público-alvo.

Os quartos estão divididos em cinco andares, mais o térreo e o subsolo. Logo no saguão de entrada você dá de cara com a cozinha, que é também a principal área de convivência. São diversas mesas, sofás e todos os equipamentos necessários para preparar o seu próprio café da manhã, almoço ou jantar. Ao lado, subindo uma pequena rampa, quem quiser se concentrar no computador vai encontrar mais mesas numa área grande e mais tranquila.

Outras vantagens são: a cobertura, que é aberta e funciona como área de lazer e festas; os quartos, silenciosos e com lockers que utilizam cartões magnéticos; e as bikes que podem ser alugadas.

Puji Bungalow – Ubud – Bali

Quem pensa em viajar para Bali, na Indonésia, descobre logo que lá tudo costuma ser muito barato. Sim, é possível até se hospedar num hotel decente à beira da praia com diárias na faixa dos R$ 50. Imagina então o quanto se cobra num hostel…

Se hospedar em um albergue em Bali vale tanto a pena que resolvi incluir dois nessa lista. O primeiro deles é o Puji Bungalow, que fica em Ubud, no centro da ilha. A região, muito turística, é bem servida de hotéis e hostels, todos próximos dos bons restaurantes, agências de turismo, lojinhas e templos locais.

O Puji, como é carinhosamente chamado, fica bem no coração de Ubud. O hostel está a 10 minutos a pé do tradicional mercado da cidade e a 15 minutos da Floresta dos Macacos. Próximo também estão restaurantes, pizzarias, cafeterias e mini-mercados que vendem de tudo.

O próprio hostel traz ambientes tranquilos e que permite o descanso dos hóspedes que não estão atrás de festa e badalação. A piscina em si é uma atração à parte, com borda infinita de frente para um pequeno campo de arroz. Em volta, pequenos quartos com arquitetura simples e típica acolhe bem os casais e quem gosta de um pouco mais de privacidade. Os quartos com beliches possuem banheiros próprios, ventilador no teto e camas agradáveis.

Bred and Jam Hostel – Kuta – Bali

Já o segundo hostel indonésio que escolhi para a lista fica nas proximidades da praia da Kuta, no sul da ilha de Bali. Foi uma agradável surpresa me hospedar lá no final da minha passagem pela Indonésia.

Moderno, com decoração típica e com quartos aconchegantes, o Bread and Jam é considerado um albergue boutique, com todos as amenidades que agradam viajantes que buscam tranquilidade e conforto: boa cozinha para uso comum dos hóspedes, área de convivência e descanso, com sofás e mesas disponíveis, além de quartos com ar-condicionado e banheiros independentes.

Do hostel é possível ir caminhando até a praia da Kuta e sua rua principal, onde estão os melhores restaurantes, dezenas de lojas, casas de massagem e até shoppings. Se preferir, é possível alugar uma bicicleta, carros e motos no próprio albergue e até pedir comida, sem taxa de entrega.

Ah, e não perca a oportunidade de conhecer a proprietária. Muito gentil e atenciosa, ela faz questão de conhecer os viajantes e ajudá-los a tornar a experiência na Indonésia ainda mais inesquecível.

Escolha a sua acomodação

Gostou de algum dos hostels citados? Se for viajar para algum desses lugares e ainda estiver procurando acomodação, você pode reservar pelo Booking. Toda vez que preciso me hospedar em hotel, hostel ou pousada eu utilizo o Booking. E é por um grande motivo: a maioria dos lugares oferece a opção de cancelamento grátis e pagamento apenas no check-in. Logo, se você achar algo melhor antes de viajar pode cancelar sem nenhuma dor de cabeça.

Ao utilizar a busca abaixo você pode fazer sua hospedagem no Booking sem gastar um centavo a mais e ainda me ajuda a receber uma comissão (enviada pelo site) fundamental para manter o Tripnova. Economia colaborativa pura, não? :D



Booking.com