Mesmo não sendo um dos destinos favoritos dos brasileiros em viagens para o exterior, como Miami ou Paris, Bali está longe de ser um lugar totalmente desconhecido. Até porque, a ilha, que fica na Indonésia, é ponto obrigatório dos melhores free surfers do Brasil e aparece cada vez mais em revistas especializadas em turismo do lado de cá do planeta.

Claro, estamos falando do Sudeste Asiático, é definitivamente uma viagem longa. Mas quem se aventura a desbravar a ilha mais famosa entre cerca de 17 mil que existem na Indonésia não deve se arrepender de nada, muito menos das várias horas dentro do avião para chegar até lá.

Em Bali tem atração para todos os gostos: praias, vulcões, templos, arrozais, trilhas, florestas, muita cultura e até outras ilhas menores. Preparei esse mini-guia com as principais características do lugar, separadas em cinco temas que englobam o que tem de mais importante para qualquer turista que visite a ilha pela primeira vez.

As praias

Muita gente, quando vai viajar para Bali acaba descobrindo em alguns blogs que as praias de lá são, digamos, uma enganação. Podemos dizer que isso é verdade? Sim e não.

A verdade é que as praias mais populares da ilha, as mais procuradas pelos turistas, não são realmente o que podemos chamar de 7 Maravilhas do Mundo. A cor do mar não é verde, tampouco azul. São no máximo praias de longa extensão de areia, boa infraestrutura de bares e hotéis e muitas “barraquinhas pé na areia”.

Mas Bali é uma ilha enorme e, sim, possui praias menores e pouco frequentadas que presenteiam o visitante com águas claras de fazer os olhos brilharem. Kuta, Seminyak e Legian são as mais conhecidas faixas de areia de Bali, próximas do aeroporto de Denpassar e perto do agito que atrai os turistas. No sul da ilha, é onde estão as redes de hotéis, as lanchonetes americanas de fast-food e as lojas internacionais de moda surfe, além das centenas de opções para se fazer compra ou apenas saborear um prato típico local.

A vantagem do sul de Bali é pode assistir o nascer do sol e o pôr do sol no mesmo dia. Bons lugares para fazer isso? Hospede-se em um dos resorts ou hostels da praia de Sanur para começar o dia com o sol surgindo no mar. Depois do almoço, vá para o lado oeste da ilha e junte-se aos outros turistas no Discovery Shopping Mall para ver o sol se pôr no horizonte.

O interior da ilha

Agora, não só de praia, sombra e água fresca vive o turismo em Bali. O interior da ilha esconde (ou apresenta) verdadeiras jóias para quem gosta de natureza, tranquilidade, trilhas e muita imersão cultural.

O grande destino longe das praias de Bali atende pelo nome de Ubud. É a capital espiritual balinesa. Por lá, o que não falta são os templos religiosos, os restaurantes típicos (e os internacionais também), as lojinhas de souvenir, as casas de massagem e de yoga, além da famosa Monkey Forest.

É quase como um refúgio para quem quer fugir um pouco das praias, mas não se engane: os turistas também estão por lá. Ao se hospedar em um dos vários hotéis dentre as principais ruas, terá a chance de notar algumas características próprias de Bali. As ruas são estreitas, muitas delas até sem calçada. O jeito é dividir o asfalto com o vai e vem incansável de motos e outros pedestres.

As moradias são as melhores! Uma típica casa balinesa, na verdade, são várias pequenas construções com uma função específica. Uma grande vila para a família toda: quarto, cozinha, sala… cada cômodo separado num grande terreno com plantas, árvores e flores. Ah, sem contar os templos de meditação e oração. O próprio muro da casa já é diferente o suficiente para chamar sua atenção, normalmente sem porta. Não vá confundir uma casa com um templo de visitação turística!

Religião e cultura balinesa

Apesar da população da Indonésia ser quase que toda de religião islâmica, em Bali o Hinduísmo prevalece, com influência budista. Do lado de fora das casas, todos os dias os balineses preparam pequenas e singelas oferendas, colocadas ao chão, em adoração aos deuses. O nome? Canang Sari. São feitas com flores nativas da ilha, folhas de bananeira, pedaços de comida e até dinheiro e cigarro.

Os balineses adoram milhares de deus e acreditam em vida após a morte. Assim com na Índia, em Bali a cremação é considerada o caminho final para a libertação do espírito, seguida pela chegada de uma vida nova. Detalhe: a cerimônia de cremação é considerada um evento festivo, reunindo muitas pessoas, com direito a cantos e músicas.

Os melhores passeios

Como disse no início do texto, Bai é praia, é vulcão, é natureza em qualquer direção que se olhe. Basta escolher: quer visitar os mais belos templos? Jogue no Google Maps e procure por Uluwatu, o templo do mar que fica no alto de uma encosta na extremidade sudoeste da ilha. A construção fica a 70 metros de altura, projetada sobre o mar. Um ponto perfeito para assistir ao pôr do sol.

Outras opções de templos incríveis são Tanah Lot e Ulun Danu Bratan. O primeiro é um símbolo de Bali, uma beleza construída sobre uma formação rochosa no mar. Uma mistura incrível de espiritualidade e natureza em um mesmo lugar. Já o segundo, localizado na região montanhosa do interior da ilha, é banhado pelas águas do lago Bratan. Mais um espetáculo, principalmente quando as águas do lago sobem próximas à margem.

Além das praias, você pode também visitar o vulcão ativo no alto do Monte Batur. Alguns passeios levam até lá ainda de madrugada só para ver o nascer do dia e as nuvens ainda cobrindo boa parte da ilha.

Enfim, o que não falta em Bali são os bons passeios e quem esteja disposto a te levar lá. São inúmeras pequenas agências de viagem e milhares de motoristas particulares que cobram preços razoáveis pela diária. Basta acertar o seu roteiro e partir para a aventura. Mas é preciso ficar atento a uma questão importante: o transporte

Transporte em Bali

Antes de desembarcar em Bali, saiba que a ilha é bem grande e o transporte coletivo não existe por lá. Não tem essa de embarcar num ônibus incrivelmente barato na porta do seu hotel e descer logo em seguida na praia mais próxima. Até existem algumas linhas de ônibus entre as cidades, mas você precisa reservar passagem. No fim das contas, o turista acaba escolhendo por um táxi ou pelo aluguel de uma moto, opções muito mais comuns.

Agora, se vai alugar moto ou táxi, fique atento ao trânsito, aos perrengues das estradas e aos espertinhos que querem sempre levar vantagem abordando turistas. Nas ruas, praticamente não existe lei de trânsito. Motos, carros e gente dividem o mesmo espaço, sem contar que lá o trânsito funciona na mão inglesa. Nas estradas, todas são estreitas e sem acostamento. Já os espertinhos… sempre tem aquele disfarçado de policial pronto para te aplicar uma falsa multa ou aquele que te aluga uma moto sem revisão e que vai te deixar na mão na primeira curva.

Mesmo com tudo isso, o lado bom de Bali prevalece. E muito! Tem pessoas simples e prontas para te ajudar e falar sobre a vida, tem uma natureza exuberante, tem hotéis bons e baratos e tem tudo aquilo que qualquer viajante procura: experiências inesquecíveis!