Foto Post Viajar: a melhor aula que você pode ter

Você certamente já ouvi alguém dizendo: “se eu ganhar na loteria, a primeira coisa que irei fazer é viajar o mundo”.

Provavelmente nem nos damos conta de todas as sensações boas que uma viagem podem proporcionar, mas colocar uma mochila nas costas e o pé na estrada em direção a um novo destino é uma das experiências mais enriquecedoras que qualquer ser humano pode viver. Arriscaria dizer que é a mais enriquecedora.

Viajar para um lugar desconhecido é se dar a oportunidade de ver, sentir, ouvir e experimentar aquilo com o qual não estamos acostumados.

Neste momento, automaticamente, nos abrimos para o inédito, derrubamos preconceitos e entendemos que a nossa noção de certo ou errado só importa para nós mesmos.

Em todas as viagens mais longas que já fiz, os sentimentos foram bem parecidos: ansiedade, medo, incertezas, felicidade, expectativa pela oportunidade de ver com os próprios olhos como este mundo é gigantesco.

Se você reparar, até arrumar a mala se torna algo mais prazeroso quando lembramos que em poucas horas estaremos em um avião, ônibus, carro, rumo ao desconhecido. Você passa a curtir cada segundo intensamente, torcendo para que o tempo “ande” bem devagar.

Mas sim, o tempo passa, você volta para a sua rotina, para o trabalho de oito horas diárias e toda aquela felicidade dá lugar ao cansaço e ao estresse em poucos dias. Você fica pensando: “férias só daqui um ano novamente…”

Essa é a lógica estabelecida para a maioria das pessoas: trabalha o ano todo para curtir 30 dias de férias que passam num piscar de olhos. É assim que funciona ou pelo menos é assim que nos ensinaram.

Mas muitas pessoas hoje já começam a subverter essa lógica. “E se eu pudesse viajar por mais tempo? Como seria viajar a longo prazo?”

Essas pessoas perceberam que aquele desejo de viajar o mundo, lá do primeiro parágrafo, pode muito bem ser realizado sem nem ao menos entrar numa casa lotérica.

É o que eu resolvi tentar este ano. A minha resolução de ano novo é dar a volta ao mundo, a partir de julho de 2015, viajando por seis meses, dezenas de cidades e cinco continentes, interagindo com novas culturas, conhecendo lugares únicos e adicionando à bagagem histórias de vida que valem por décadas. Serão centenas de milhares de quilômetros para realizar um sonho.

Por isso criei o Projeto Tripnova, que documentará cada experiência vivida em cerca de 200 dias pelo mundo, com textos, fotos e vídeos mostrando belas cidades, iniciativas inovadoras, lugares paradisíacos e tudo o que este planeta pode nos oferecer.

Uma viagem de autoconhecimento, com a certeza de que deixar a sua zona de conforto para trás é a melhor forma de realizar sonhos, aprender mais e, quem sabe, mudar o mundo. Mesmo que um passo de cada vez.